Translate

sábado, 7 de janeiro de 2012

Refluxo Gastroesofágico: quais são os fatores de risco?

A Doença do Refluxo Gastroesofágico (DRGE) é caracterizada pelo refluxo do conteúdo ácido proveniente do estômago, provocando sintomas desagradáveis e/ou complicações (esôfago de Barret, estenose, úlcera esofágica e sangramento) .
Um amplo estudo populacional brasileiro abrangendo cerca de 20.000 pessoas em 22 cidades representativas de diferentes regiões do país, identificou prevalência da DRGE ao redor de 12% em nosso meio.
Dentre os sintomas típicos da doença encontram-se a pirose ( algumas vezes chamada de "azia", representada pela sensação de queimação no peito que por vezes pode atingir até a garganta) e a regurgitação (definida como a percepção do fluxo do conteúdo gástrico refluído para a boca ou garganta).
Associados a estes sintomas, podem também ocorrer: salivação excessiva, eructação (arroto) e sensação de opressão no peito que, por vezes mimetiza até mesmo um infarto.

São fatores de risco para a DRGE: 
  1. IDADE. A DRGE aumenta acentuadamente com a idade.
  2. SEXO. Acomete ambos os sexos, mas costuma ser mais prevalente em mulheres.
  3. GESTAÇÃO. A pirose e a regurgitação aumentam durante a gestação pelo crescimento do útero e compressão do estômago
  4. HÉRNIA DE HIATO.  Os fatores anatômicos de contensão do refluxo gastroesofágico são alterados pela presença da hérnia hiatal, principalmente nas hérnias moderadas a grandes.
  5. FATORES GENÉTICOS. Estudos sugerem o caráter genético da doença ao encontrar vários casos na mesma família.
  6. OBESIDADE. A DRGE é mais frenquente em obesos pelo aumento da pressão intra-abdominal.
  7.  MEDICAMENTOS. Certos medicamentos conhecidos aumentam a incidência de refluxo, como os antidepressivos, alguns anti-hipertensivos, alendronato, teofilina, entre outros.
  8. TABAGISMO
  9. BEBIDAS ALCOÓLICAS
  10. ALIMENTAÇÃO RICA EM GORDUROSOS, CÍTRICOS, CHOCOLATE, MOLHOS E CAFÉ.
  11. REFEIÇÕES COPIOSAS
  12. ESFORÇOS FÍSICOS EXCESSIVOSCarregar pesos e atividade física após alimentação. 

Lembre-se: não adianta protelar a resolução do problema. Quando não tratada corretamente, a DRGE pode ocasionar graves prejuízos à sua saúde. Cuide-se bem e procure sempre um especialista.

Leia mais sobre refluxo gastroesofágico. Acesse:
Doença do Refluxo Gastroesofágico - uma afecção crônica
Sintomas Noturnos do Refluxo Gastroesofágico


Um comentário:

  1. Gostei muito, vou procurar fazer tudo certo e emagrecer. Sônia

    ResponderExcluir

Esta matéria foi esclarecedora e informativa? Deixe sua opinião!